Coloproctologia ou proctologia é a especialidade médica referente as doenças do intestino grosso (cólon), reto e ânus. Após a graduação médica são necessários dois anos de aperfeiçoamento em cirurgia geral e mais dois anos em coloproctologia para formar o especialista nesta área.
Salvador: 71 3237-2757
Marcação de Consulta Lauro de Freitas: 71 3288-8100
contato@dreduardofonseca.com

Notícias e Artigos

Hospital Aeroporto ---
Itaigara Memorial ---
Marcação de Consulta 71 3237-2757 | 71 3288-8100

Colonoscopia: o que preciso saber

Home  /  Doenças do aparelho digestivo  /  Colonoscopia: o que preciso saber

Mesmo que você nunca tenha feito uma colonoscopia, você pode ter ouvido falar deste exame. O preparo de limpeza do intestino provavelmente chamou sua atenção. Envolve ingerir uma bebida laxante na noite anterior ou na manhã do exame. Não parece muito atraente, não é? No entanto, há uma razão pela qual os médicos geralmente recomendam que os pacientes com idades entre 50 e 75 anos façam esse exame com ou sem sintomas.

A colonoscopia é um exame endoscópico que permite a avaliação do intestino grosso e reto.

A colonoscopia é um exame endoscópico que permite a avaliação do intestino grosso e reto.

A colonoscopia é um teste de triagem para o câncer colorretal (intestinal). Este é um câncer que começa no cólon ou no reto. Ambos fazem parte do intestino grosso. O cólon absorve água e nutrientes da comida e elimina os resíduos da alimentação e bactérias, formando o bolo fecal e fatores dietéticos e  genéticos podem favorecer o aparecimento de tumores nesta região.

Os sintomas do câncer de cólon incluem uma mudança nos hábitos intestinais (como diarreia ou constipação) que duram mais de 4 semanas, sangue nas fezes, sensação de que o intestino não está esvaziando e cólicas ou gases persistentes. Os sintomas também podem incluir perda de peso, fezes finas, fraqueza e fadiga. No entanto, no momento em que surgem os sintomas, o câncer geralmente é bastante avançado.

O câncer colorretal é a terceira causa mais comum de morte relacionada ao câncer em homens e mulheres. No entanto, se for detectado precocemente, o câncer colorretal terá 90% de sobrevida. Estima-se que no Brasil surjam a cada ano mais de 17.000 novos casos de câncer de intestino. A maioria dos cânceres de cólon é evitável através de exames preventivos regulares.

A colonoscopia não só rastreia os pacientes com risco aumentado para desenvolver câncer intestinal como é um dos únicos testes diagnósticos que podem realmente prevenir o câncer de cólon. Ao encontrar e retirar lesões do cólon antes de se tornarem malignas.

Existem outras maneiras de rastrear o câncer de cólon:

Um exame de sangue oculto nas fezes verifica uma amostra de fezes quanto a presença de sangue.

Colonoscopia por tomografia  usa raios-x e computadores para dar ao seu médico imagens de todo o seu cólon.

A retossigmoidoscopia flexível é semelhante a uma colonoscopia, mas examina somente o reto e apenas parte do cólon. É realizado, geralmente, sem necessidade de sedação.

Se uma lesão suspeita for detectada pela tomografia ou pela retossigmoidoscopia, você ainda precisará de uma colonoscopia para removê-lo. O mesmo é verdade se o sangue é encontrado em sua amostra de fezes. Além disso, lesões muito pequenas não são detectadas pela tomografia. É por isso que a colonoscopia é considerada o padrão ouro porque combina a detecção com o tratamento.

Doenças diagnosticadas pela colonoscopia:

Diverticulose: Pequenas áreas fracas na parede muscular do cólon permitem que o revestimento do cólon se projete, formando pequenas bolsas chamadas divertículos. Os divertículos normalmente não causam problemas, mas podem sangrar ou ficar inflamados ou infectados.

Diverticulite: Quando os divertículos se tornam inflamados ou infectados, resulta em diverticulite. Dor abdominal, febre e constipação são sintomas comuns.

Sangramento de cólon (hemorragia): múltiplos problemas potenciais de cólon podem causar sangramento. O sangramento rápido é visível nas fezes, mas o sangramento muito lento pode não ser.

Doença inflamatória intestinal e colites:

Doença de Crohn: uma condição inflamatória que geralmente afeta o cólon e ânus. Dor abdominal e diarréia (que podem estar com sangue) são os sintomas mais frequentes.

Colite ulcerativa: uma condição inflamatória que geralmente afeta o cólon e o reto. Como a doença de Crohn, a diarréia sanguinolenta é um sintoma comum de colite ulcerativa.

Diarreia crônica: fezes frequentes, soltas ou aquosas são comumente chamadas de diarreia. A maioria das diarreias se deve a infecções leves e autolimitadas do cólon ou do intestino delgado.

Salmonelose: A bactéria Salmonella pode contaminar os alimentos e infectar o intestino. Salmonella causa diarréia e cólicas estomacais, que geralmente desaparecem sem tratamento.

Shigelose: As bactérias Shigella podem contaminar os alimentos e invadir o cólon. Os sintomas incluem febre, cólicas estomacais e diarreia, que podem ser sanguinolentas.

Pólipos de cólon: os pólipos são pequenos crescimentos. Alguns destes desenvolvem câncer, mas leva muito tempo. Removê-los pode prevenir muitos cânceres de cólon.

Ao remover pólipos do intestino, a colonoscopia funciona como a melhor forma de prevenção do câncer icolorretal.

Ao remover pólipos do intestino, a colonoscopia funciona como a melhor forma de prevenção do câncer icolorretal.

O que a Colonoscopia?

É um exame endoscópico que examina todo o cólon (intestino grosso) e o reto, usando um aparelho de fibra óptica flexível. Ele é usado como meio diagnóstico de doenças de cólon e reto e permite realizar biópsias e remover pólipos do cólon. É feito em nível ambulatorial, com o mínimo de inconveniência e desconforto.

Quem deve realizar uma colonoscopia?

A colonoscopia é recomendada de rotina aos adultos com 50 anos de idade ou mais velhos, como parte de um programa de prevenção do câncer colorretal. Pacientes com história pessoal ou familiar de câncer ou pólipos de cólon ou reto podem ter que realizar a colonoscopia após os 40 anos.

A colonoscopia pode ser necessária para avaliar sintomas como:

  • Dor abdominal, sangramento retal, alterações do ritmo intestinal;
  • Diagnóstico e seguimento da doença inflamatória intestinal;
  • Avaliar pacientes com teste positivo para sangue nas fezes.

O que fazer antes do exame?

Antes de se submeter a uma colonoscopia, o médico irá querer saber sobre quaisquer condições médicas especiais que você possa ter, incluindo:

  • Gravidez;
  • Condições pulmonares;
  • Problemas de coração;
  • Alergias a medicamentos.

Informe também o seu médico se tiver diabetes ou tomar medicamentos que possam afetar a coagulação do sangue. Pode ser necessário ajustar a dose desses medicamentos antes do procedimento.

Como eu me preparo?

Para realizar uma colonoscopia bem-sucedida, você deve ter um intestino limpo. Isso significa que você precisa restringir sua dieta pelo menos 24 horas antes do procedimento. Os alimentos sólidos estão restritos, mas você pode consumir líquidos claros, como: chás, caldos e sopas coados, água e sucos sem resíduos, isotônicos.

O próximo passo é limpar completamente o intestino grosso com a utilização de um laxante via oral, ingerido na noite anterior ou na manhã do procedimento. Certifique-se de seguir exatamente as instruções do preparo intestinal.

Providencie para que alguém o leve para casa após a colonoscopia. Você será sedado, o que significa que você não ficará acordado para o procedimento. Apesar de acordar rapidamente após o término do exame, não será seguro dirigir ou operar máquinas por pelo menos oito horas depois.

Como é realizada uma colonoscopia?

Durante a sua colonoscopia, você ficará deitado de lado em uma mesa de exames. Você vai receber sedativos através de uma veia em seu braço e você vai dormir.

Durante o procedimento, o médico coloca um instrumento flexível parecido com um tubo chamado colonoscópio em seu reto. É longo, mas seu diâmetro é de apenas cerca de meia polegada. Tem uma luz e uma câmera de vídeo na ponta para que o médico possa ver o revestimento interno do seu intestino (mucosa) e dizer se há algum problema.

O colonoscópio também inclui um canal interno que permite ao seu médico bombear ar e inflar seu cólon. Isso permite uma detecção melhor das lesões intestinais.

Durante o exame, o médico pode usar uma alça bem fina introduzida por dentro de um canal do colonoscópio para retirar pequenas amostras do seu intestino, o que é chamado de biópsia. Ele também pode usá-lo para eliminar crescimentos anormais na parte interna do intestino (pólipos) que podem evoluir para tumores malignos.

O procedimento é acompanhado o tempo todo por um médico anestesiologista que é responsável pela administração dos sedativos e pela monitorização dos sinais vitais como: frequência cardíaca, pressão arterial e respiração.

O que acontece depois do exame?

Todo o procedimento deve demorar entre 20 e 30 minutos. Você ficará em uma sala de recuperação por cerca de 30 minutos a uma hora para se recuperar da sedação.

Você pode ter cólicas ou gases, mas elas cessam rapidamente. Você pode comer regularmente depois que chegar no quarto.

Certifique-se que tenha entendido todas as instruções que você recebeu antes de ir para casa. Você pode precisar evitar certos medicamentos, como anticoagulantes, por um tempo, se o seu médico fez uma biópsia ou removeu qualquer pólipo.

A colonoscopia é uma das melhores maneiras de detectar ou prevenir o câncer de intestino. Mas muitas pessoas que deveriam realizar o procedimento não o fazem por medo. A melhor maneira de superar isso é conversando com o médico que irá realizar o exame e esclarecer todas as dúvidas.

Dicas para tornar o processo de limpeza do intestino o mais suave possível:

Dica 1:

Seu médico é sua melhor fonte de informações sobre como se preparar. Quando você agendar o procedimento, receberá instruções. Leia-os bem antes da sua consulta e ligue para o seu médico se tiver alguma dúvida.

Dica 2:

Ajuste sua dieta nos dias anteriores ao exame. Ingira alimentos com baixo teor de fibras que são fáceis de digerir e são eliminados mais rapidamente.

Você pode comer:

  • Pão branco, macarrão e arroz;
  • Legumes bem cozidos sem pele;
  • Frutas sem pele ou sementes;
  • Carne magra, frango ou peixe;

Não coma:

  • Sementes, nozes ou pipoca;
  • Comidas gordurosas;
  • Carne resistente;
  • Grãos integrais;
  • Vegetais crus;
  • Fruta com sementes ou casca;
  • Milho, brócolis, repolho, feijão ou ervilha.

Pergunte ao seu médico se e quando você deve parar de tomar qualquer medicamento prescrito que use regularmente.

Dica 3:

No dia anterior ao seu procedimento, você não pode comer nada sólido. Você só pode consumir líquidos transparentes. É importante manter-se hidratado bebendo muitos líquidos claros, como bebidas esportivas, suco claro como maçã e uva branca e caldo claro. O refrigerante é bom, assim como o café e o chá, mas sem leite. Você pode consumir gelatina e gelo, mas fique longe de qualquer coisa colorida de vermelho, azul ou roxo. Os corantes podem descolorir o revestimento do cólon e tornar mais difícil para o médico detectar alterações durante o exame. Evite também bebidas alcoólicas e bebidas como leite ou suco de laranja.

Duas a quatro horas antes do procedimento, certifique-se de não beber ou comer nada.

Dica 4:

Na noite anterior à sua colonoscopia, você toma laxantes fortes para limpar o trato digestivo. Você provavelmente não gostará do sabor da solução, mas há truques para melhorar isso:

Misture com algo com sabor, como uma bebida esportiva ou mistura de bebidas em pó.

  • Mantenha-o bem gelado;
  • Beba-o através de um canudo colocado muito para trás em sua língua;
  • Siga-o com um gole de algo bom sabor;
  • Chupe uma fatia de limão ou um pedaço de doce depois de beber.

Quando o laxante começar a funcionar, você terá uma diarreia frequente e forte durante algumas horas. Quando terminar o preparo suas fezes devem se parecer com urina ou água limpa.

O processo não é fácil, mas lembre-se de que este é um passo inteligente para proteger sua saúde. Se você se preparar bem, seu médico poderá ver o que ele precisa e sua colonoscopia será mais rápida. Se os resultados forem bons, pode levar 5 anos até que você tenha que passar por isso novamente.

É um exame seguro. Em média, duas complicações sérias ocorrem a cada 1.000 procedimentos realizados (0,002%). Mas como todo procedimento médico não é sem riscos.

Fique alerto a:

Desconforto abdominal ou dor:

Este é o efeito colateral mais comum da colonoscopia. Você pode sentir cólicas ou inchaço por um dia ou dois após o exame. Você também pode sentir náuseas e até vomitar. Estes sintomas geralmente não são perigosos, mas se você vomitou ou está com dor, contate seu médico imediatamente.

Sangramento:

Você pode notar sangue do seu reto ou nas fezes após uma colonoscopia. Na maioria das vezes, isso acontece porque seu médico teve que tirar uma amostra de tecido ou remover um pólipo do cólon. Ligue para o médico imediatamente se continuar ou se houver muito sangue. Certos medicamentos, como vitaminas e analgésicos de venda livre, como a aspirina, podem aumentar o risco de sangramento. Se você os tomar, não se esqueça de informar o seu médico antes de ir para o seu procedimento.

Uma reação ruim à anestesia:

Você estará dormindo durante o exame, então não sentirá nada. Você pode se sentir tonto ou abalado quando acordar. Em casos raros, algumas pessoas podem ter reações graves aos medicamentos, como problemas cardíacos ou respiratórios. Mas seu médico e sua equipe são treinados para identificar e tratar esses efeitos colaterais. Informe se você é alérgico a algum medicamento ou se já teve uma reação ruim à anestesia.

Eduardo Fonseca Alves Filho - Doctoralia.com.br