Coloproctologia ou proctologia é a especialidade médica referente as doenças do intestino grosso (cólon), reto e ânus. Após a graduação médica são necessários dois anos de aperfeiçoamento em cirurgia geral e mais dois anos em coloproctologia para formar o especialista nesta área.
Salvador: 71 3237-2757
Marcação de Consulta Lauro de Freitas: 71 3288-8100
contato@dreduardofonseca.com

Notícias e Artigos

Hospital Aeroporto ---
Itaigara Memorial ---
Marcação de Consulta 71 3237-2757 | 71 3288-8100

Alimentos que fazem mal para diverticulite – O que provoca? Quais os perigos?

Home  /  Notícias   /  Alimentos que fazem mal para diverticulite – O que provoca? Quais os perigos?
Alimentos que fazem mal para diverticulite

Alimentos que fazem mal para diverticulite – O que provoca? Quais os perigos?

Você sofre com a diverticulite? Confira os alimentos que fazem mal e quais os perigos que eles podem trazer para a sua saúde!

A diverticulite é uma inflamação no intestino, caracterizada por pequenas bolsas que ficam localizadas nas paredes internas do órgão. Muitas pessoas com essa condição não apresentam sintomas, no entanto, outras sentem inchaço na região, náuseas, calafrios, sensibilidade ao toque, febre e outros.

Portadores dessa condição devem cuidar a alimentação. É indicado o consumo de fibras, verduras, legumes, frutas e muita água ao longo do dia. Um estilo de vida saudável ajuda a melhor formar o bolo fecal, promovendo uma rápida eliminação das toxinas.

O que provoca a Diverticulite?

As causas da diverticulite não são totalmente conhecidas, entretanto, os especialistas afirmam que o aumento da pressão no cólon e no intestino pode causar a formação dessas bolsas.

A perda da elasticidade da musculatura intestinal, com o avanço da idade, também é apontada como uma causa do aparecimento dessas saliências intestinais, além, é claro, da predisposição genética.

A questão é que a diverticulite é originada da junção de pedaços de fezes que ficam presas nessas bolsas, com isso ocorre a inflamação.

Para evitar a condição, é importante manter uma dieta equilibrada, pois o tratamento é baseado em dieta líquida e medicamentos que possam conter os sintomas e a inflamação.

Alguns chás calmantes como o de camomila também podem ser usados para amenizar a situação.

É necessário que o portador dessa condição tenha a consciência de que as saliências só sairão do intestino com cirurgia, no entanto, elas podem ficar adormecidas e não atrapalhar a qualidade de vida se o indivíduo mantiver um estilo de vida regrado.

Quais os perigos da diverticulite?

Dependendo da quantidade de bolsas presentes no intestino, essa condição pode gerar diversos riscos, entre eles:

  • Sangramento ou hemorragia no intestino – pode ocorrer com ou sem os divertículos inflamados;
  • Abscessos;
  • Fístulas;
  • Perfuração;
  • Obstrução intestinal.

Se houver sinais de muita gravidade do problema, é necessário realizar cirurgia para retirada da parte do intestino comprometida pelas saliências.

Diante de um cenário preocupante de dores intensas e sangramentos, um médico deve ser consultado com urgência.

O que não comer na diverticulite?

A escassez de fibras na alimentação é uma das causas mais recorrentes da diverticulite. Infelizmente, o excesso de consumo de produtos industrializados, ultraprocessados e farinhas refinadas tem provocado muitos males à saúde.

Uma alimentação saudável pode prevenir problemas como esse, dando preferência por produtos que que são ricos em fibras, pois eles ajudam na formação do bolo fecal, melhorando o funcionamento do intestino, e evitam novas crises inflamatórias.

Portanto, é fundamental fazer uso de fibras solúveis e insolúveis como frutas, cereais, verduras hortaliças e grãos integrais. Quanto mais natural for a alimentação, melhor. Mas, jamais deve-se esquecer de aliar tudo isso à atividade física e boa ingestão de água.

Quem tem diverticulite deve evitar alguns alimentos, são eles:

  • Gordura em excesso – frituras por imersão e carnes com gordura aparente. Vale lembrar que gorduras boas, vindas do abacate, ômega 3 e azeite de oliva, são positivas para a saúde, portanto, podem ser consumidas;
  • Açúcar – bolos, balas, chocolates e sobremesas em geral devem ser ingeridas com parcimônia;
  • Refrigerantes;
  • Farinha branca (pães, bolachas, massas);
  • Alimentos prontos de supermercado;
  • Fast Foods.

Durante as crises, os cuidados devem ser redobrados. Geralmente, os especialistas indicam uma dieta mais líquida até que a situação melhore. Além disso, alimentos considerados de difícil digestão devem ser evitados.

Antigamente, acreditava-se que alimentos como sementes poderiam impactar ainda mais no problema, entretanto, alguns especialistas afirmam que isso não tem relação, pois um dos fatores apontados para o problema é a pressão dentro do intestino, que tem relação com consistência das fezes.

Portadores de diverticulite que sofrem de crises recorrentes devem ter acompanhamento médico, pois já existem medicamentos que ajudam na redução das crises.

Além disso, é preciso ter em mente que a constipação é a grande inimiga do hábito intestinal saudável. As fezes nunca podem estar ressecadas, mas sim hidratadas, para facilitar a sua eliminação. Isso só se consegue com uma alimentação rica em fibras, atividade física e boa hidratação.

Isso vale não só para casos de diverticulite, mas também para as hemorroidas, que são lesões causadas pelo endurecimento das fezes.

O médico especialista no diagnóstico e tratamento da diverticulite é o gastroenterologista.

 

 

No Comments
Post a Comment
Name
E-mail
Website