Coloproctologia ou proctologia é a especialidade médica referente as doenças do intestino grosso (cólon), reto e ânus. Após a graduação médica são necessários dois anos de aperfeiçoamento em cirurgia geral e mais dois anos em coloproctologia para formar o especialista nesta área.
Salvador: 71 3237-2757
Marcação de Consulta Lauro de Freitas: 71 3288-8100
contato@dreduardofonseca.com

Notícias e Artigos

Hospital Aeroporto ---
Itaigara Memorial ---
Marcação de Consulta 71 3237-2757 | 71 3288-8100

Intestino preguiçoso, você tem? O que é, causas, sintomas e tratamento

Home  /  Notícias   /  Intestino preguiçoso, você tem? O que é, causas, sintomas e tratamento
Você têm problema de intestino preguiçoso

Intestino preguiçoso, você tem? O que é, causas, sintomas e tratamento

Hoje o nosso assunto será a saúde, em específico os casos de intestino preguiçoso. Tem dúvidas sobre esse assunto? Vem com a gente O post Intestino preguiçoso, você tem? O que é, causas, sintomas e tratamento apareceu primeiro em Segredos do Mundo.

Vamos falar de saúde? Pois bem, o assunto do momento será as causas e tudo que se relaciona com um intestino preguiçoso.Basicamente, esse é um transtorno que varia de pessoa para pessoa, e que está cada vez mais comum na população em geral.

Sobretudo, é um transtorno que é ainda mais intensificado pelo excesso de comida industrializada, como por exemplo, aquele fast food que você comeu essa semana.

Então vem com a gente, pois temos todas as informações necessárias para você.

Primeiramente, o intestino preguiçoso é a mesma coisa de intestino preso e prisão de ventre. Além de serem conhecidos também pelos nomes populares como, constipação ou obstipação intestinal. Esse transtorno é mais comum em mulheres, especialmente durante a gravidez, em crianças e idosos.

Mas, o que é ter um intestino preguiçoso?

Basicamente, a prisão de ventre é um distúrbio caracterizado pela dificuldade persistente para evacuar. Em vista disso, ela é provocada principalmente pelo consumo insuficiente de fibras, as quais são responsáveis por favorecer o trânsito intestinal.

No entanto, vale ressaltar que não existe um padrão para classificar quantas vezes é o correto se ir ao banheiro. Até porque isso vai de pessoa para pessoa. Porém, a frequência pode variar de 3 a 12 vezes por semana. Portanto, só se considera como quadro de constipação, se a pessoa fizer duas ou menos evacuações por semana. Ou caso a pessoa tenha que fazer muita força para evacuar e ainda ser pouco produtivo.

A priori, como já dissemos a principal causa que faz com que você fique com um intestino preguiçoso, é uma dieta pobre em fibras, além da pouca ingestão de água, sedentarismo, o consumo excessivo de proteína animal e também de alimentos industrializados.

Basicamente, os alimentos industrializados, em sua grande maioria são processados. Em vista disso, esse processamento retira alguns dos nutrientes do alimento, inclusive a fibra. Por isso, esse hábito pode ser considerada como algo que intensifica você ter um intestino preso. No entanto, é importante verificar a rotulagem nutricional dos alimentos, antes de consumir.

Outra forma também de adquirir a prisão de ventre é não atender à urgência para evacuar, quando ela se manifesta. Basicamente, isso pode comprometer o funcionamento regular do seu intestino. Ela também pode estar associada com doenças do cólon e do reto, como diverticulose, hemorroidas, fissuras anais e câncer colorretal.

Além de ser provocada também pelo uso de alguns medicamentos e também por alterações neurológicas e do metabolismo. Como por exemplo, o estresse, a depressão e a ansiedade. Outra complicação comum da constipação é o fecaloma.

Basicamente, o fecaloma é uma massa compacta de fezes endurecidas, as quais depositam no retou ou no cólon-sigmoide, fazendo com que seja interrompido o trânsito intestinal. Porém, essa tendência ocorre mais em pessoas que possuem certa dificuldade de se locomoverem, como é o caso de alguns idosos acamados e cadeirantes.

Esse item é meio subjetivo. Até porque ele pode variar de pessoa para pessoa.

Porém os sintomas mais recorrentes são:

  • Número reduzido de evacuações;
  • Dificuldade para eliminar as fezes, as quais podem se apresentarem mais ressecadas, ou muito duras e pouco volumosas;
  • Sensação de esvaziamento incompleto dos intestinos.
  • Desconforto;
  • Distensão;
  • Inchaço abdominal;
  • Mal-estar;
  • Gases;
  • Distúrbios digestivos Diagnóstico.

O intestino preso, é diagnosticado assim como qualquer outra irregularidade no seu organismo. Ou seja, o indicado é procurar por um médico para que ele possa te orientar melhor sobre o seu caso, e lhe prescrever remédios devidos. Vale ressaltar, que não é indicado você se automedicar, sem saber com exatidão o seu caso.

Portanto, para você conseguir um levantamento dos seus intestinos, você deve realizar um exame clínico minucioso, o qual sairá o seu diagnóstico da constipação. Além de poder realizar exames de laboratório, como por exemplo, como hemograma de sangue oculto nas fezes, e de imagem. Esses são importantes para determinar as causas do seu distúrbio, e ainda estabelecer um diagnóstico diferencial para te conduzir a um tratamento.

Bem, supondo que você já sabe que está com prisão de ventre, o indicado agora é você corrigir certos hábitos, para tentar melhorar o trabalho do seu intestino. Portanto, o principal passo é você mudar os seus hábitos alimentares, além de consumir alimentos mais saudáveis. O mais recomendável é aumentar a ingestão das fibras.

Caso você não saiba, os principais alimentos que devem ser consumidos são legumes, verduras, frutas, cereais integrais, além de consumir também alimentos com propriedades taxativas. Como por exemplo, o mamão, tamarindo, laranja, manga, folhas em geral e ameixa.

Outros alimentos que são ótimos para o funcionamento do seu intestino são os cereais integrais como arroz integral, pão integral, centeio, aveia, sementes de linhaça, farelo de aveia e trigo, dentre outros. Basicamente, esses alimentos ajudam a aumentar a quantidade de fibras ingeridas.

A outra dica não menos importante é aumentar ingestão de água. O indicado é ingerir m média dois litros por dia. E claro, é importante também você manter uma rotina fixa com atividades físicas, pois essa rotina auxilia no bom funcionamento dos seus intestinos.

Basicamente, as fibras auxiliam na formação do bolo fecal e, em parceria com a quantidade de água ingerida e a atividade física, são responsáveis por estimular a atividade muscular intestinal. Portanto, a regularidade da atividade intestinal só é adequada quando estes três fatores são atendidos.

No entanto, existem casos mais específicos, porém esses casos recomenda-se procurar um médico, caso você tenha muitas dificuldades de evacuar. Basicamente, esses casos se tornam necessários o uso de supositórios e de enemas, que são lavagens intestinais. Esse método é usado para facilitar a eliminação das fezes.

Enfim, agora que você já está ciente do que é o intestino preguiçoso, vale ressaltar algumas recomendações para serem seguidas.

Como por exemplo:

  • Vá ao banheiro sempre que tiver vontade;
  • Beba muito líquido, mas o álcool é com moderação. Até porque ele ajuda a desidratar as fezes;
  • Saiba que a ingestão de farelo em pó pode aumentar a produção de gases;
  • Coma frutas, se possível com casca, nos intervalos entre as refeições;
  • Tente administrar as situações de estresse e as crises de ansiedade.

Se precisar de ajuda, vá ao médico.

Como já dissemos algumas alterações neurológicas podem influenciar no funcionamento do seu intestino.

Se notar mudanças significativas em seus hábitos intestinais, procure um médico especialista.

E por fim, não deixe de ir ao médico caso suas fezes estiverem muito ressecadas ou muito finas, se houver sinais de sangramento, ou se você estiver emagrecendo sem nenhuma explicação aparente. Antes de tudo, o médico saberá melhor do que ninguém qual é o grau da sua prisão de ventre. Além de indicar da forma mais correta certos medicamentos para serem tomados.

Agora que você já sabe como tratar a prisão de ventre, vamos colocar o aprendizado então em ação. Para então melhorar a saúde e seu bem estar.

No Comments
Post a Comment
Name
E-mail
Website